8 tendências do varejo para 2018

Tempo de leitura: 6 minutos

Algo que as empresas varejistas já sabem é que as tendências do varejo sempre estão acompanhando as mudanças do mercado mundial. A boa notícia é que isso traz uma gama de possibilidades de produtos e ideias inovadoras para esse ramo. A má notícia é que os varejistas precisam se manter sempre atualizados para conquistar os consumidores.

Para te ajudar a se preparar, resolvemos antecipar 8 tendências que o varejo promete trazer para 2018. Ficou curioso para descobrir quais são elas? Basta continuar lendo este post!

1. Vendas online

As vendas do comércio eletrônico brasileiro aumentaram 36,2% em 2017, enquanto as vendas em lojas físicas estão indo pelo caminho contrário. Esses dados servem de alerta para os varejistas de que prateleiras cheias não são mais páreo para a internet, e as marcas precisam se adaptar a essa realidade.

Isso não quer dizer que as lojas físicas vão sumir em breve, mas que elas estão mudando seu formato para melhorar a experiência do consumidor: em vez de apenas um ponto de venda, também estão educando as pessoas sobre os produtos e oferecendo bons descontos.

Algumas marcas brasileiras também estão investindo no formato “guide shop”, ou seja, versões reduzidas das suas lojas, onde o cliente pode experimentar, trocar e devolver peças da coleção, mas no final efetua todas as compras online.

2. Consumidores mobile

Além de comprar online, o consumidor também está dando preferência às lojas que oferecem um formato mobile. Grandes marcas do mercado já apostam em aplicativos para facilitar a vida do consumidor, mas para quem ainda não pode investir nessa tecnologia o melhor caminho é cuidar bem da página do seu e-commerce.

Quanto mais criativo e mais fácil de efetuar a compra pelo smartphone um site for, maiores serão as chances de que o cliente feche a compra.

3. Canais de comunicação alinhados

Atualmente quase não há mais uma separação entre mundo físico e mundo digital, o que se re reflete na maneira com que o consumidor se comunica com a marcas. Para ter suas dúvidas esclarecidas ele quer uma série de opções, a depender do lugar em que esteja e dos recursos disponíveis no momento.

Para atender a essa necessidade, as lojas precisam variar os seus canais de comunicação e manter as informações aliadas entre a equipe de atendimento. Além do SAC feito por telefone, os chats online, os FAQs e as redes sociais também precisam fazer parte da estratégia de atendimento ao cliente.

4. Novas formas de compra e pagamento

Novas formas de pagamento e também de compra são algumas tendências do varejo. Além dos smartphones que já permitem efetuar pagamentos por meio dos seus apps, os relógios mais modernos terão essa funcionalidade e prometem substituir os cartões de crédito.

Essas modalidades também terão reflexo nas estratégias de compra. Com a Internet das Coisas tudo promete ser cada vez mais digitalizado e a tecnologia integrada ao dia a dia do consumidor.

Algumas marcas já oferecem assistentes virtuais que realizam compras a partir de uma simples chamada de voz.

Além disso, já existem no mercado os “dash buttons”. Imagine que você percebe que o sabão em pó acabou enquanto lavava as roupas. Com um desses botões preso à máquina de lavar é possível pedir o produto ao pressioná-lo e ele será entregue diretamente na sua casa. 

5. Responsabilidade social

O consumidor brasileiro é o terceiro mais consciente do mundo, de acordo com estudo da National Geographic Society. E o principal foco de preocupação é com a sustentabilidade, com 66% deles apoiando empresas que investem no meio ambiente.

Marcas que oferecem produtos sustentáveis, que evitam o desperdício de recursos, que reduzem a emissão de poluentes em seus processos produtivos ou não fazem testes em animais, por exemplo, saem na frente da concorrência.

Outro fator importante é a responsabilidade social nas relações humanas, especialmente com os colaboradores. É importante lembrar que eles representam o nome de uma marca e sem um tratamento ou reconhecimento adequado não terão coisas positivas a dizer sobre ela.

Por isso tenha a responsabilidade social como uma das tendências do varejo a seguir a partir de agora. Sua companhia precisa se comportar internamente da mesma maneira que se apresenta para o mundo.

6. Marcas autênticas

Os consumidores também andam buscando marcas que tenham um propósito positivo e que se vendam com autenticidade, principalmente com essa enxurrada de produtos e serviços iguais que são oferecidos diariamente.

Ir por um caminho diferente da concorrência e apostar em causas sociais é uma possibilidade de se destacar, desde que feito de forma verdadeira.

Criar produtos e campanhas com foco no empoderamento feminino enquanto a sua empresa não trata funcionárias com igualdade não faz sentido. Aposte em um propósito genuíno como missão, e não apenas como estratégia de vendas.

7. Informação no centro da estratégia

O consumo consciente está em alta e  e são os clientes que ditam o que uma marca deve vender. Por isso, entender e monitorar o que eles querem virou questão de sobrevivência e sucesso para os varejistas.

Para coletar essas informações o varejo precisa marcar presença nas mídias sociais, convidar o seu consumidor a participar da sua criação de estratégias e, especialmente, ouvir o que ele tem a dizer — mesmo que seja algo negativo.

8. Atendimento personalizado

Ao entrar em contato com uma marca, clientes querem ser tratados como uma pessoa e não apenas como um número. Para isso, o atendimento ao cliente deve ser personalizado.

Muitas empresas já oferecem essa experiência, por exemplo, ao disponibilizar designers de moda em suas lojas ajudando clientes com as combinações de peças para o seu tipo de corpo ou para uma ocasião específica; outras oferecem consultoria sobre o uso dos seus produtos;

Com esse atendimento diferenciado, em vez de apenas fidelizar clientes, as marcas conquistam também embaixadores, pessoas que interagem e participam ativamente da criação de ideias dessa empresa e compartilham a experiência positiva com os demais.

E então, pronto para se adaptar às tendências do varejo em 2018? Para acompanhar outras atualizações sobre o tema curta nossa página no Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *